Já ouviu falar sobre eco-ansiedade?

2019 não foi um ano fácil para o meio ambiente, não é mesmo? Vimos em 29 de julho o planeta terra esgotar sua capacidade de recursos naturais, os focos de fogo na Amazônia atingindo taxas recordes e diversos outros problemas catastróficos ligados aos impactos climáticos que dá uma tristeza só de lembrar.

E falando em sentir-se triste por conta da crise climática, foi daí que surgiu o termo eco-ansiedade. Em linhas breves, ele significa como uma “ dor sentida em relação aos experientes ou antecipadas perdas ecológicas, incluindo a perda de espécies, ecossistemas e paisagens significativas devido a mudanças ambientais agudas ou crônicas.” 

O que experienciamos em 2019 traduz bem a eco-ansiedade. Porém como lidar com ela? Anote algumas dicas e fique atenta sobre o assunto:

● Primeiramente, cuide de você. Sua saúde mental é importante e você precisa estar bem para lidar com todos impactos;
● Liberte-se da culpa para agir. É normal congelar em momentos de tristeza e ansiedade, mas pense: como posso fazer diferente?
● Envolva-se na causa ecológica, seja por meio de repensar seu consumo ou até ativamente em ONGs e projetos sociais;


Para as marcas, o que isso significa? Uma palavra resume: ação.
Sua marca pode fazer a diferença e criar iniciativas privadas que possam auxiliar na regeneração do ambiente e também a frear causas da crise climática, como emissão de poluentes, redução de embalagens e afins. Vamos pensar sobre consumo consciente para deixar a eco-ansiedade de lado :)
 

Copiar Link e compartilhar